A feijoada era comida dos ricos na época do Império

Existem muitas informações incorretas e duvidosas na internet. Ainda bem que, em relação à história da feijoada brasileira, que é uma instituição nacional, historiadores e pesquisadores acadêmicos estão esclarecendo a população.

feijoada201202222Ainda hoje existem muitas pessoas que acreditam (por terem ouvido) que a feijoada foi criada nas senzalas pelos escravos, que juntavam os restos de carne que os senhores de engenho e fazendeiros não queriam, tais como a orelha, o pé, o toucinho e outras partes menos nobres do porco. Porém, historiadores e pesquisadores começam a provar que a "estória" não foi bem assim.

Bem antes do descobrimento do Brasil, cerca de 300 anos antes, os portugueses já conheciam o feijão, a matéria-prima da feijoada. Feijão preto é originário da América do Sul, mas o feijão já era conhecido na Europa de antigamente e era utilizado em culinária (exemplo: cassoulet, de origem francesa).

Em artigo Feijoada: breve história de uma instituição comestível, publicado na Revista do Ministério das Relações Exteriores, o Prof. Rodrigo Elias (mestre em História Moderna e Contemporânea pela Universidade Federal Fluminense e doutorando em História Social na Universidade Federal do Rio de Janeiro) nos traz fundamentos de que a versão da criação de feijoada pelos escravos não passa de uma "bela estória".

A História (com "H") nos traz evidências de que a feijoada não era comida dos escravos e era apreciada pela elite social da época. Recorrendo a registros históricos, o pesquisador traz à tona um anúncio de 7 de agosto de 1833 no Diário de Pernambuco, em que o recém-inaugurado Hotel Théâtre, de Recife, informa que às quintas-feiras seriam servidas feijoada à brasileira.

Também o Jornal do Commercio, do Rio de Janeiro, publica em 5 de janeiro de 1849 um anúncio em que o botequim da Fama do Café com Leite chama os fregueses para uma bela feijoada à brasileira.

Segundo o Prof. Rodrigo Elias, em outro registro histórico, "a Casa Imperial – e não escravos ou homens pobres – comprou em um açougue de Petrópolis, no dia 30 de abril de 1889, carne verde (fresca), carne de porco, lingüiça, lingüiça de sangue, rins, língua, coração, pulmões, tripas, entre outras carnes". Esses são ingredientes de uma feijoada.

A base da feijoada brasileira é o feijão preto, mas os ingredientes diferem um pouco de região para região. Os dias da semana em que são apreciados pela população também variam de região para região: a feijoada carioca é servida às sextas-feiras, a feijoada paulista é servida às quartas-feiras e sábados etc.

Foto: Equipe Professornews